Florianópolis - Jaime H. Schramm

Novo nascimento

O dia 28 de julho de 2011 ficou marcado na vida de Jaime H. Schramm, como a data de um novo nascimento. Ele sofreu um infarto enquanto fazia exercícios na academia e precisou ser socorrido por bombeiros e equipe do Samu. Ficou 30 minutos sem sinais vitais e até a chegada no hospital, seu coração parou mais duas vezes. Colocou seis pontes de safena e dois stents, ficando internado por quase um mês. Sem sequelas, ficou mais 60 dias em recuperação em casa, quando decidiu mudar completamente a sua vida. Seu caso virou depoimento na novela de uma grande rede de televisão e foi motivo de homenagem junto à equipe de socorristas, numa cerimônia de formatura de bombeiros comunitários.

O primeiro passo foi procurar o Centro de Prevenção da Saúde (CPS) da Unimed, para fazer o programa de Reabilitação Cardiopulmonar, iniciando com exercícios aeróbicos de baixa intensidade, na esteira, aumentando gradativamente a carga das atividades. Até o dia em que foi ver seu primo correr uma meia-maratona e ficou impressionado com o que registrou – na sua mente e nas fotos que tirou. Ao comentar o sentimento aos colegas do CPS, recebeu o desafio de correr uma prova de corrida de rua. Aceitou o desafio e, de fato, transformou sua vida.

“Intensificamos os exercícios e praticamente um ano depois de sair do hospital, em 2 de setembro de 2012, participei da minha primeira corrida de rua, numa prova de 5 km. Lembro ainda que o cardiologista do CPS correu comigo a prova toda, para o caso de acontecer alguma eventualidade. Completei a prova dentro dos meus limites e fiz no tempo de 33min 36 seg, para mim um verdadeiro marco”, conta Jaime, que em seguida descobriu o Circuito de Corridas Unimed e começou a participar de suas provas.

“Em 2017 tive como foco ganhar uma mandala do Circuito Unimed, que conquistei na etapa de Joinville. Ainda participei de outras provas e finalizei orgulhosamente com a etapa de Florianópolis, junto com meu filho Raul, participando de sua primeira corrida de rua. E como incentivo para ele, corri toda a prova ao seu lado, não me importando com o tempo”. Em 2018, já participou de várias provas e conquistou a segunda mandala, seis anos após a sua primeira corrida de rua. “A cada prova fica aquela expectativa de diminuir o tempo e de superar a marca da corrida anterior, obtendo mais saúde e bem-estar”.